fbpx
Descubra o que é Programação Orientada a Objetos

Existem muitas linguagens de programação conhecidas, mas cada uma delas segue um conjunto específico de regras que orientam o modo como executam suas tarefas e como solucionam possíveis problemas. São os chamados paradigmas de programação. Atualmente, a programação orientada ao objeto (OOP) é atualmente o paradigma de programação mais requisitado pelo mercado e mais popular entre os desenvolvedores, mas você sabe por quê?

Programação Orientada a Objetos (POO) está baseada no conceito de objetos compostos por dados e códigos, e classes. Na POO, os dados aparecem na forma de campos (também conhecidos como atributos ou propriedades) e os códigos na forma de procedimentos (também conhecidos como método). O objeto é a menor e mais básica entidade e todo tipo de cálculo é realizado nele.

Atualmente, as linguagens de programação mais populares são consideradas multi-paradigmáticas e são compatíveis com programação orientada a objetos em algum grau. Entre as linguagens compatíveis com a POO estão JavaC++C#PythonPHP, JavaScriptRubyPerlMATLAB.

Apesar de cada vez mais popular, a programação orientada a objetos ainda pode causar um pouco de confusão. Neste texto, vamos te ajudar a entender o que é POO, quais suas maiores vantagens e em que casos ela deve ser utilizada. Vamos lá?

O que é Programação Orientada a Objetos?

Descubra o que é programação orientada a objetos
A programação orientada a objetos visa simplificar o desenvolvimento de aplicações cada vez mais complexas

Embora a sua popularidade tenha aumentado consideravelmente apenas no final da década de 80, a Programação Orientada a Objetos não é um conceito novo dentro do universo da programação e aparece pela primeira vez ainda na década de 60, com a linguagem norueguesa Simula67. O principal objetivo da POO é reduzir a complexidade do processo de desenvolvimento em sistemas cada vez mais heterogêneos, baseados em interfaces gráficas e distribuídos em redes e camadas distintas.

Pode-se dizer que a POO é uma evolução de práticas que já existiam na programação estruturada, embora não fossem formalizadas. Sua principal vantagem é a tentativa de aproximar seus objetos de elementos da vida real.

Além disso, a Programação Orientada a Objetos permite a criação de bibliotecas que tornam efetivos o compartilhamento e reutilização de códigos, reduzindo o tempo de desenvolvimento e aumentando a produtividade.

Mas antes de entender como funciona a POO, é preciso entender o que é exatamente um objeto, não é mesmo?

Um objeto é uma abstração que pode representar algo real ou virtual, sendo formado por propriedades (variáveis) e procedimentos (métodos). Cada variável possui um tipo que define seus valores, podendo ser um número inteiro, real ou um string. Já os métodos dizem respeito a rotinas que são executadas para a realização de alguma tarefa.

Programação Orientada a Objetos x Programação Estruturada

Na programação estruturada um programa é composto por sequências (programas para serem executados), condições (sequências que precisam satisfazer determinada condição para ser executada) e repetições (sequências para serem executadas repetidamente até satisfazer determinada condição). Normalmente, os programas são escritos em uma única rotina, com o mesmo fluxo.

Este sistema tem como consequência uma série de restrições ao acesso das variáveis. A programação orientada a objetos, por outro lado, permite a criação de bibliotecas que tornam efetivos o compartilhamento e reutilização de códigos.

Em linhas gerais, podemos dizer que a programação estruturada está voltada a procedimentos e funções definidas pelo usuário, enquanto a POO tem como foco os conceitos de classe e herança.

Os quatro princípios da Programação Orientada a Objetos

A programação orientada a objetos está focada em quatro princípios básicos. São eles:

Encapsulamento

Cada programa tem objetos lógicos diferentes que se comunicam entre si de acordo com as regras definidas pelo programa. O encapsulamento é quando cada objeto mantém seu estado escondido dentro de uma classe. Outros objetos não têm acesso direto ao estado, mas apenas a uma lista pública de funções, chamadas de métodos.

O objeto administra seu próprio estado através de métodos e nenhuma outra classe pode tocá-lo a menos que tenha permissão expressa. Se você quer realizar uma comunicação com o objeto, precisa utilizar os métodos fornecidos.

Herança

Um problema comum na POO é que os objetos muitas vezes são muito parecidos, já que compartilham uma lógica em comum. Como reutilizar a lógica comum para extrair a lógica específica para ser usada em classes separadas? Com a herança!

Através da herança você pode criar uma classe derivada de outra e formar uma hierarquia. A classe filha reusa todos os campos e métodos da classe pai para implementar sua própria classe. Assim, é possível que uma determinada classe herde atributos e métodos. Prático, não?

Abstração ou classe

A abstração pode ser pensada como uma extensão natural do encapsulamento. No modelo orientado por objeto, os programas na maioria das vezes são extensos e os objetos estão em permanente comunicação. Por isso, pode ser muito difícil manter um código base com grandes extensões por anos.

A abstração foi pensada para resolver este problema. Ao aplicar a abstração, cada objeto deve expor apenas o mecanismo de alto nível. Este mecanismo deve esconder os detalhes de implementação interna e revelar apenas operações que são relevantes para outros objetos.

Polimorfismo

Polimorfismo, como a etimologia grega da palavra sugere, quer dizer formas múltiplas. O polimorfismo expõe uma classe exatamente da mesma maneira que a sua classe geradora para não haver confusão. Mas cada classe derivada mantém seus próprios métodos.

Isso acontece quando é preciso definir uma interface mãe para ser reutilizada, deixando à mostra uma série de métodos comuns. Cada classe pode, então, implementar sua própria versão desses métodos.  

Principais vantagens da Programação Orientada a Objetos

A programação orientada a objetos permite a reutilização de códigos e permite a criação de bibliotecas com representações de classes, além disso é mais fácil para realizar atualizações e manuntenções de sistemas complexos | Imagem por Freepik

Sem sombras de dúvidas, a possibilidade de reutilização de códigos é uma das grandes vantagens da programação orientada a objetos. Com sistemas cada vez mais complexos, essa característica diminui consideravelmente o tempo necessário para o desenvolvimento, assim como a quantidade de código necessária.  

Além disso, com uma representação que se aproxima dos objetos da vida real, temos maior rapidez e facilidade na leitura, atualização e manutenção dos códigos já que os objetos buscam reproduzir elementos da vida real. Também é mais fácil o entendimento do sistema como um todo, o que facilita o trabalho em equipe.

Com a programação orientada a objetos também ficou muito mais simples criar uma biblioteca contendo representações de classes que podem ser reutilizadas.

Python para programação orientada a objetos

Você sabia que Python é a linguagem para programação orientada objetos que mais cresce no mercado?

Simplicidade, acessibilidade e versatilidade. Essas são apenas três das características que rapidamente fizeram do Python uma verdadeira febre no mundo da programação. Inicialmente famosa por seu uso em processos de automação, inteligência artificial e ciências de dados, hoje a linguagem é usada de maneira bastante diversificada e está presente em todas as empresas de tecnologia e inovação que fazem parte do nosso dia a dia. O fato é que a linguagem tem apresentado o maior crescimento do mercado e ocupa o terceiro lugar no ranking de popularidade da GitHub, a maior comunidade de desenvolvedores do mundo.

Python é a linguagem que mais cresce no mercado e vai continuar crescendo no futuro. Ao dominá-la, você vai abrir novas portas de carreira e entrar num dos mercados com maior média salarial da área de tecnologia e alta demanda por profissionais qualificados.

Para dominar o Python, nada melhor do que fazer um bom curso.

curso de python
Na hora de aprender Python, é importante escolher um curso completo e com certificado reconhecido pelo mercado | Imagem por Freepik

Aprenda Python

Aqui na ByLearner nós temos o curso mais completo do mercado, Python completo – de Júnior a Sênior. Os nossos alunos contam com um material didático especial e exclusivo, além de uma equipe pedagógica sempre aberta ao diálogo e disposta a trocar conhecimentos para além das aulas.

Ao todo, nós temos mais de 27.000 alunos satisfeitos, uma grande experiência de ensino que também nos ajudou a melhorar e conquistar cada vez mais a excelência de qualidade que você merece.

Ah! E é importante também lembrar que, ao final do cursos, nossos alunos recebem um certificado válido e amplamente aceito pelas empresas de tecnologia. Ele atesta que você possui conhecimentos em Python e está pronto para aplicá-los em diversas áreas.

Para te dar um gostinho do estilo ByLearner de ensino, preparamos um e-book gratuito inteirinho para você. Com o nosso Boas Práticas com Python você vai elevar o nível do seu código, não deixe de baixar no link abaixo:

Boas Práticas com Python

Baixe gratuitamente nosso e-book completo no link abaixo

Gosto do nosso texto? Tem alguma sugestão para os próximos? Além disso, não esqueça de deixar um comentário e nos contar tudo!

Ah! E estamos em todas as redes sociais, siga a gente e assine a nossa newsletter para não perder nenhum conteúdo inédito!

Tags: | |

Newsletter

Se inscreva na nossa Newsletter para receber as principais novidades da ByLearn

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.