fbpx
O que é versionamento de código e por que fazer isso

Desenvolver um sistema ou aplicação funcional é uma tarefa que pode levar bastante tempo. Você pode até ser capaz de criar algo que funcione com um arquivo ou em uma sessão de trabalho só, mas isso está longe de ser a regra. É por isso que uma forma de organizar e categorizar todos os arquivos e versões do seu código ou conjunto de códigos se faz essencial. E é aí que entra o versionamento de código, ou controle de versões.

O que é versionamento de código

Digamos que você está escrevendo um trabalho da faculdade ou colégio para ser entregue ao professor ou preparando uma sequência de slides para uma apresentação.

Numa situação como essas, é perfeitamente aceitável nomear cada versão de seus arquivos como “apresentação”, apresentação1”, apresentaçãofinal” ou “apresentaçãofinalvalendo” (quem nunca, não é mesmo?).

Mas, quando lidamos com versões de código (ainda mais código aberto), precisamos ser mais precisos e claros sobre o que contém e do que se trata cada alteração.

Isso porque as versões poderão ser revisitadas por nós mesmos muito tempo depois. Ou vistas por outras pessoas pela primeira vez, alguém que não fez parte do processo de criação do código e não conhece seus detalhes. Multiplique por dezenas, centenas ou milhares de arquivos e fica fácil entender como isso pode se tornar um problema bem rápido.

Felizmente, há diversos sistemas e softwares para ajudar com o controle de versões, alguns dos quais você já deve ter ouvido o nome ou até conhece, como Mercurial, Git, SVN.

Em seguida, veja as principais vantagens em se fazer versionamento de código.

Por que fazer versionamento de código

versionamento de código
O versionamento de código traz diversas vantagens para o processo de desenvolvimento

Um sistema de controle de versões é um software (ou vários) que gerencia as mudanças em arquivos – incluindo os de texto e imagem.

A grande vantagem de um programa como esse é que ele avisa se qualquer alteração foi feita em um arquivo, quem a fez, por que foi implementada, além de outras funcionalidades que contribuem para a organização e a segurança do projeto.

O uso de um sistema de versionamento de código evita que falhas de processo, ou uma simples falha por “esquecimento”, aconteçam.

Também poupa muito tempo e trabalho ao tentar localizar uma alteração ou verificar o que foi alterado de uma versão para outra.

Vantagens

De acordo com o artigo do blog de tecnologia Working Minds publicado no Medium, há pelo menos seis vantagens principais em se usar um sistema de controle de versões:

  • Segurança: os softwares de versionamento de código possuem mecanismos para evitar que ocorra corrupção de arquivos e somente pessoas autorizadas e identificadas têm acesso ao código fonte controlado.
  • Versionamento: é possível reverter um arquivo à versão anterior, seja por causa de um erro ou por mudança de finalidade do projeto, de forma simples e estruturada, reduzindo a possibilidade de erros durante esse processo.
  • Rastreabilidade: descubra facilmente quem, quando, onde, por que e onde um determinado código foi alterado. Todas as ferramentas mais populares possuem essas funções.
  • Organização: sistemas com interface visual dispõem de visualização completa do ciclo de vida completo dos arquivos controlados, desde a sua criação.
  • Colaboração: pessoas em diferentes locais podem colaborar em um projeto a partir do repositório central do sistema, compartilhado por todos, algo que facilita muito o trabalho de equipe.
  • Confiança: esses repositórios remotos também são muito valiosos como proteção para eventos imprevisíveis – como a perda de arquivos armazenados em um determinado computador. Também permite testar novas ideias sem danificar a linha de base do desenvolvimento.

Além dessas seis vantagens, também podemos citar a marcação e resgate de versões estáveis – a maioria dos sistemas permite marcar a última versão estável de um projeto, facilitando o resgate se for preciso – e a ramificação de projeto – divisão em linhas de desenvolvimento que podem ser trabalhadas paralelamente e sem interferência.

Dá para ver a utilidade e o valor que um sistema de controle de versões pode ter, seja para uma equipe de programadores ou para um projeto pessoal.

Adotar um desses softwares pode trazer ganhos enormes em segurança e produtividade.

Baixe o nosso e-book agora mesmo

Adquira o seu e-book completo sobre Boas Práticas com o Python gratuitamente

Principais sistemas de controle de versões

Os sistemas de versionamento de código mais usados são as soluções livres, como Git, Mercurial, SVN e CVS, mas também há soluções comerciais, como Azure DevOps Server (Microsoft), PVCS (Serena) e ClearCase (IBM).

As últimas costumam ser adotadas por empresas, porque as opções livres não oferecem garantias contra erros no software e perda de informações.

Dentre esses, o Mercurial é um sistema de versionamento de código implementado em Python. Veja uma lista de softwares e algumas das características de cada um:

Softwares livres

Mercurial: implementado principalmente em Python, mas com utilitário diff binário em C. Adotado por instituições como Facebook, Mozilla e W3C.

Git: com foco na velocidade, cada diretório de trabalho do Git é um repositório com histórico completo e capacidade de acompanhamento de revisões. É o sistema mais usado globalmente, segundo levantamentos da área de computação.

SVN: segunda solução livre mais usada e uma versão mais eficiente do CVS, o Apache Subversion (nome completo) é o sistema de versionamento de código da Apache Foundation, responsável pelo OpenOffice e outros projetos de código aberto.

CVS: um dos mais antigos sistemas de controle de versões, desenvolvido em 1986 e lançado em 1990, o Concurrent Version System não ganha uma nova versão estável desde 2008, mas é uma solução clássica e testada.

Um controle de versões eficiente traz muitos benefícios ao trabalho em equipe | Designed by pch.vector

Softwares comerciais

Azure DevOps Server: o produto da Microsoft para controle de versões, integrado a muitas IDEs da gigante da tecnologia. Já foi conhecido como TFS (Team Foundation Server).

PVCS: lançado em 1985 com o nome Polytron Version Control System (hoje PVCS Version Manager, nome completo). Inclui o Dimensions CM, utilizando pela Agência Espacial Europeia e a empresa Lockheed Martin.

ClearCase: família de ferramentas da IBM que permite gerência de configuração de software e outros recursos de desenvolvimento.

Além desses, há muitos outros sistemas voltados para versionamento de código, como RCS, Bazaar, AccuRev. A Wikipédia conta com uma lista para comparação de softwares extensiva (em inglês).

Como aprender sobre versionamento e outras ferramentas

Se você quer aprender mais sobre versionamento de código e conhecer outras ferramentas essenciais do mundo do Python e da programação, nós, aqui na ByLearn, temos um curso indicado tanto para programadores iniciantes quanto para os mais experientes.

O curso Python completo – de Júnior a Sênior conta com a melhor seleção de materiais, feitos especialmente para nossos alunos.

Aqui você vai aprender tudo o que precisa, além de contar com nossa equipe de apoio pedagógico.

Nossa equipe está sempre aberta e disposta a compartilhar novas ideias e soluções.

Aliás, você já sabia o que é e por que fazer versionamento de código?

Siga as nossas redes sociais e se inscreva na nossa newsletter para ficar por dentro de novos conteúdos e aprender mais sobre o universo Python.

Tags: | |

Newsletter

Se inscreva na nossa Newsletter para receber as principais novidades da ByLearn

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.